SOZINHA

 

Presa na escuridão

Sem reação

E sem a noção

Da minha situação

É como uma prisão

 

Tento me soltar

Mas essa sombra

Quer me machucar

Deixando marcas

Que não serão apagadas

 

Momentos de humilhação

Que estilhaça o meu coração

Toda essa agressão

Por esta simples sensação

De libertação…

 

(Andressa – 802)

 

A MULHER

Ser Mulher

Não sabem como que é

Ser julgada pelo que quer

E chamada de qualquer

 

Uma Mulher

Sempre sabe o que quer

Umas buscam liberdade

Outras, estabilidade

Seja com a família

Ou com trabalho na firma

 

Se fica em casa

Falam que não quer nada

Se trabalha todo dia

Falam que não é de família

 

A Mulher

Pode ser o que quiser

Desde que tenha garantido

O direito de ser o que é

 

(Beatriz Evelbauer Simões – 801)

ESCREVENDO SEM RECONHECIMENTO

Antes que nós mulheres ganhássemos espaço

A liberdade era privada

Eram tempos sombrios

Quando o preconceito reinava

 

Apesar das dificuldades

Nós mulheres lutávamos

Em busca da igualdade

Para hoje termos a atenção da sociedade

 

E depois de escutar

“lave a louça”, “não vai trabalhar”

Nós não desistimos

E continuamos a lutar

 

(Bernardo Mariga Passos da Costa – 801)

ESTOU CANSADA

Estou cansada
De ser desrespeitada,
Na rua, na praça e na estrada.

Estou cansada
De ser julgada,
Pela aparência desajeitada.

Estou cansada,
Sempre sofrendo
Dessa luta diária.
Chega! Não aguento!

Sou guerreira,
Sou Maria Quitéria,
Sou cantora,
Sou Carmen Miranda,
Sou pintora,
Sou Tarsila,
Sou quem
Quero ser.

(Letícia Mainardi – 801)

FEMINISMO NÃO É MI-MI-MI

Eu estou cansada,

farta desta palhaçada.

Algumas meninas falam que é bobeira,

mas pra mim isso não é brincadeira.

Eu levo o feminismo a sério,

eu mesma tenho meus critérios.

 

Lava a louça,

seca a roupa.

Calem a boca!

Mas que coisa tosca.

Lugar de mulher é em casa?

Para com essa palhaçada!

 

Lugar de mulher é onde ela quiser.

engenheira, médica, advogada.

Essas coisas faladas,

pra gente, é crime.

Deprime.

 

Falam que feminismo é mi-mi-mi,

pra mim não.

Eu presto atenção em tudo que dizem,

junto com tudo que penso

e acabo discutindo em certos momentos.

Feminismo não é mi-mi-mi.

(Julia Gomes – 801)

 

 

 

MULHERES DE POESIA

Mulheres fazem poesia

Poemas bonitos

Movidas pela inspiração do dia a dia

Rimas, versos e estrofes

Espalhamos alegria

 

Rompo fronteiras

Crio ritmo, sou artista

Exploro o meu papel

Tanto o que eu uso para escrever

Quanto o de poetisa

 

Entre letras e frases

Precisa fazer um sentido?

Cada um é diferente

Sem contexto definido

Em vez de batom na bolsa

Carrego lápis e papel comigo

 

(Helena Dias Bayerl de Assis – 801)

SABE COMO É?

Você sabe como é?
Ser mulher?
Lutar
Por direitos que não deveria ter de batalhar
Ter de aguentar
Homem falando que você não chega a nenhum lugar
Que você só serve para lavar e cozinhar

Aguentar calada?
Não mais
Para mim chega

Quero ser respeitada
Quero poder trabalhar e cuidar da casa
Quero andar nas ruas
Sem ouvir cantada

Quero poder ser mulher
E ser respeitada
Quero fazer minhas próprias escolhas
Sem ser julgada

 

(Maria Eduarda – 801)

LOUCURA

Meu coração doía

Minha alma machucada sucumbiu à escuridão

Comigo minha mente fazia

Algo pior do que uma maldição

 

Minhas cicatrizes ardiam

Minha mente as vozes consumiam

A loucura me invadia

E meu lado escuro florescia

 

Um sorriso sádico em minha face

Uma faca, caso a vingança chamasse

Lápis e papel na bolsa estão

Para a carta ao que despedaçou meu coração

(Karyn Allyson – 801)

ELA PELO MUNDO E EU POR ELA

Eu quero te agradecer

Por lutar para que eu seja o que quiser ser

Por falar tudo que eu não tenho coragem

Essa é minha homenagem

 

Ei, mulher

Obrigada por ser o que você quer

Engenheira, política, jogadora

Enfermeira, dentista, promotora

 

Moça do cabelo castanho

Eu sei que parece estranho

Eu nem te conheço direito

E já te carrego no peito

 

E tenha em mente que não é culpa sua

Assim como você, eu sou mulher

E posso fazer o que quiser

Mesmo que não seja o que o resto do mundo quer

(Andressa Araújo Valente dos Reis – 902)